sábado, 16 de agosto de 2014

ANTES & DEPOIS DA DEPRESSÃO - MUDANÇA DE HÁBITOS

PROJETO DE SANTIFICAÇÃO DO CORPO com Mônica Sampaio

Foto minha: 16 de agosto de 2014


Todo mundo tem um "antes e depois".

Aliás, todo mundo tem vários "antes e depois". Eu tenho.

Tem alguns "antes" e alguns "depois" mais importantes do que outros "antes e depois".


Foto: Eu e Rosa Queiroz - diretora editorial da minha editora, Brasport, no lançamento da 3a edição do meu livro: CURSO DE LOCUÇÃO DIRIGIDA PARA TODAS AS PROFISSÕES - Eu com algumas dezenas de quilos a mais

Enquanto estava bastante acima do peso, eu mantinha certos hábitos de compras no mercado, que me ajudavam a ficar acima do peso.

Meu foco, na hora de comprar, eram as GULOSEIMAS.

E na hora de comer, então? ... hum, abafa!


Não, nesse caso eu não vou abafar não.
Vou expor.
Expondo, sei que vou ajudar pessoas que estão na mesma situação em que eu estive.

Tudo começou assim ... Engordei em 5 anos, CINQUENTA QUILOS.




Há 14 anos me separei (em 2000).
No ano seguinte, lancei, ao mesmo tempo, dois livros meus na Bienal no Rio de Janeiro. Maravilha.
Tive alguns "lances", que não chegaram nem a ser namoro.
E me retraí.

Sem perceber, eu estava entrando na sorrateira DEPRESSÃO.


Comecei a me trancar dentro de casa, a comer desordenadamente... mas o problema pior ainda estava por vir.
Só tinha prazer em sair com o meu filhinho - na época, com 5 aninhos - para levá-lo, à tarde, para brincar com as outras crianças na rua.
E me sentava - na escadaria aonde as outras mães e babás ficavam -, observando meu filho brincar.
Esse era o meu prazer.

Então, comecei a bebericar Vodka.


Aquilo ia me dando uma sensação de euforia, que me fazia esquecer a minha falta de vontade para todas as demais coisas da vida, incluindo a minha profissão. Essa, eu já estava deixando de lado ... deixando ... deixando.
(Sou profissional de Comunicação há 31 anos - estamos em 2014 - Radialista, Locutora, Compositora e Escritora, Consultora sobre Técnicas de Apresentação em Público para Palestrantes)

O "namoro" com a Vodka foi ficando cada vez mais "quente".
Então, eu comecei a ansiar pela chegada da tarde, não só para levar o meu filho à rua para brincar; mas, também, para beber Vodka.

O tempo foi passando- e a minha relação com a Vodka foi ficando mais intensa -, quando chegou o famigerado dia em que foi difícil sair e deixar a Vodka em casa, sozinha, coitada.

Decidi, então, sair com dois, ao invés de um, como de costume. Peguei o meu filho numa mão e, na outra, a sacola com a garrafinha de água para ele, junto com outra igual para mim. Igual, só na aparência, pois o conteúdo da minha garrafa era Vodka.

Dizem que a Vodka é inodora, e me fiei nisso.
Bebia, conversava com as outras mães, ria, contava causos, num comportamento aparentemente normal.

Como é que as pessoas iriam desconfiar que uma mãe, com comportamento normal, com rotina padrão, poderia estar entrando num buraco sem fim por causa do álcool?

Quando as pessoas da casa percebem, a situação já está crítica há muito tempo.


E quanto mais o tempo ia passando, mais cedo eu começava a minha jornada de embriagues. Antes do almoço, já começava a beber, a título de "abrir o apetite".

Abrir o apetite coisa nenhuma! Eu NECESSITAVA DE ÁLCOOL na minha mente para aguentar o dia inteiro que teria pela frente!

Isso foi se arrastando por longos 5 anos.
De Vodka, eu passei a tomar Conhaque - pois a Vodka já havia ficado fraquinha.
Ainda não havia chegado o ponto da cachaça. E não chegou, literalmente, GRAÇAS A DEUS.

Nesse tempo, a minha vida já tinha sido praticamente toda arruinada.

Fotos da minha época de Modelo e Manequim)




Como uma pessoa inteligente, bonita, agradável, que tinha uma profissão de prestígio e uma boa reputação no mercado de trabalho, poderia ter chegado a esse ponto?

COMO?


Vários fatores contribuíram para isso. Mas meu objetivo aqui não é detalhá-los. O meu foco é falar sobre COMO eu SAÍ DISSO.

COMO eu SAÍ DISSO


Eu precisava de ajuda!
Mas era orgulhosa demais para admitir isso.
Era "inteligente demais", era "culta demais", era "conhecida demais"... eu me alimentava de ilusão demais a respeito de mim mesma, que me colocou em uma redoma de vidro, tornando-me intocável para aqueles que procurassem me ajudar.

E era agressiva.
O álcool expõe o nosso pior.

Quem me vê hoje, nem sonha que passei por isso tudo, não é?

Mas eu precisava me expor para ajudá-lo a CURAR A SUA FERIDA. Pois eu sei que o Espírito Santo irá direcionar pessoas que precisam de ajuda, a lerem este depoimento meu.


Eu disse para mim mesma: - A minha vida está péssima!
Eu não quero alguém para desabafar o meu problema. Eu preciso de mais!

Eu preciso de um milagre.


Foi aí que vi um anúncio na TV.

Querido, eu estava um bagaço; não tinha mais a mínima condição de ficar julgando os outros.
Eu estava com a ferida aberta, exposta.
Falida, sozinha, e havia me tornado uma dependente de álcool.

O que é que o meu orgulho tinha para questionar a respeito da fé dos outros? NADA! Eu estava literalmente "na chon"! E com um filho pequeno para cuidar sozinha (É, o paizinho nos abandonou: a ele e a mim).


E fui parar numa igreja evangélica.
Dei umas "esperneadas" no início, discutindo a teologia "deles" versus o meu "achismo" inútil, que me levou a chegar aonde eu estava, mas isso foi por pouquíssimo tempo, pois EU PRECISAVA da ajuda deles NOW! Já! URGENTE!
Eu precisava que eles me ensinassem o caminho para chegar até o Deus deles: o Deus que fazia milagres!

Eu precisava de uma MILAGROSA MUDANÇA!


Eu não queria ir para psicólogos ou psiquiatras. Nada contra eles, mas, por mais absurdo que pareça para uma alcoólatra (ou alcoolista, como é mais aceitável), eu não queria me tornar dependente de ninguém e nem de medicamentos. Era horrível a ideia de me tornar uma pessoa doente, dependente de remédios. Eu sempre fui saudável e gostava de praticar esportes (natação, karatê, musculação, aerobica ...).

Foto minha treinando Karatê Shotokan, 1989. Sou faixa roxa.

Mas a minha mente estava doente. E eu precisava de uma força superior à minha capacidade intelectual, para me tirar desse fundo de poço.


Depois que tirei a armadura cultural e as armas de retórica vã contra o Cristianismo dos Protestantes, me rendendo a essa Sabedoria, tão simples, mas tão profunda, me vi maravilhosamente cuidada por uma Pessoa que tinha o controle de tudo em Suas Mãos.

Fotos minhas de hoje, 16 de agosto de 2014:





Não foi de repente que parei de beber.


Depois que comecei a frequentar a igreja (fui batizada 2 semanas depois), ainda demorei seis meses para entender que podia ser uma nova pessoa, sem beber.
Comecei a enxergar que poderia participar de churrascos e comemorações e me divertir, sem estar com um copo de álcool na mão.


Passei a ter motivação em orar, em falar com Deus, de filha para Pai, de amiga para Amigo, de bebê desprotegido para um Deus Forte e Protetor.


Passei a querer conhecer mais desse Deus, de como Ele gostaria que eu me relacionasse com Ele; de como Ele queria que eu me comportasse perante os outros. Coloquei-me, literalmente, em posição de filha. E descansei. Descansei como há muito não descansava. Sabe como é boar na água e deixar as marolinhas te levarem, como maternais braços de ninar?

Foi assim que comecei a me sentir.

(Foto de hoje, 16 de agosto de 2014):

Independente das discussões teológicas, eu me encontrei com Deus. E tive paz em minha alma. Paz no meu espírito. Paz no meu coração.


Há uma década, essas transformações maravilhosas começaram a acontecer na minha vida.

Três meses depois que larguei o hábito de beber bebida alcoolica, parei de fumar.

Foi fácil?

Claro que não.
É um processo. E todo processo de mudança implica em perdas, e perdas, implicam em dor.
Então, trata-se de um processo de PESAGEM. Colocando na balança, de um lado o presente deplorável, e do outro, o sonho de um futuro melhor.


E jogando fora os PRÉ CONCEITOS.



Você precisa de ajuda?

Não hesite em pedi-la.


Corra enquanto é tempo.


Tudo o que eu precisei para ser CURADA eu encontrei no Deus que a Bíblia ensina.
E ponto final.

Fotos de agosto de 2014







Hoje em dia, com quase 30 quilos eliminados (eu era muito magrinha; não pretendo eliminar os 50 kg que adquiri ... alguns quilinhos a menos e vou estar nos trinks!!), estou me sentindo muito bem, me alimentando muito bem, e me amando bem mais!


Fotos de hoje, 16 de agosto de 2014:


Meu café da manhã hoje em dia!

PROJETO DE SANTIFICAÇÃO DO CORPO é isso:
Santificar-se é separar-se de TUDO O QUE PODE DESTRUIR O SEU CORPO,
porque o NOSSO CORPO é a MORADA DO ESPÍRITO SANTO.


Um beijo fraterno
da Mônica Sampaio


TODA SEXTA ministro palestras motivacionais PALESTRA DEPENDA DE DEUS - das 19h às 20h - na Assembleia de Deus Vitória em Cristo do Recreio dos Bandeirantes - Av. Genaro de Carvalho, 2.400 - Rio de Janeiro - RJ
Informações: 21 3518-9001 a 9004 - Entrada franca

Visite nossa PÁGINA no FACEBOOK e CURTA! www.facebook.com/agradabilidade

Se gostou, indique este blog para seus amigos: AGRADABILIDADE - As Coisas Boas da Vida - Com Mônica Sampaio
www.agradabilidade.blogspot.com